5 séries com mulheres representativas - Parte 1

07:32:00


Resolvi fazer essa postagem, depois que li mais uma matéria em um jornal dizendo que as mulheres não precisam ser representadas nos ministérios, pois a primeira-dama Marcela Temer, já representava as mulheres com suas elegâncias. Não me aguentei, precisei escrever esse post para mostrar quem são as mulheres "belas, recatadas e do lar" que representariam melhor as mulheres no Brasil.

1. Hannah Horvath (Girls - HBO)

Hanna não tem um corpo dentro dos padrões, mas tem um corpo que muitas mulheres comuns tem, ou seja, ela tem um corpo normal. Ela não possui um relacionamento estável e muito menos um emprego estável, vive na cidade dos sonhos, mas está longe do glamour da cidade. O mais interessante da personagem é que hora você concorda e se identifica com ela e em outros momentos você discorda das atitudes dela ou do que ela faz, o que torna a personagem real, por que pessoas reais não são perfeitas!


"Ninguém nunca poderia me odiar tanto quanto eu me odeio, ok? Então, qualquer coisa má que alguém pode pensar em dizer sobre mim, eu já disse pra mim, sobre mim, provavelmente na última meia hora" Hanna 

2. Jessica Jones (Jessica Jones - Netflix)

Jessica tinha uma vida normal, tirando a parte da super força, até que um dia conhece um cara chamado Killgrave, um cara normal também, tirando a parte dele ter poderes que permitiam que ele manipulasse as pessoas e abusasse de garotas como Jessica. Depois de sofrer nas mãos desse estuprador, ela consegue se livrar dele quando ele morre e se torna uma mulher alcoólatra que ainda sofre com as memorias do seu passado... e agora do seu presente! A série mostra Jessica descobrindo que o vilão está vivo e ela precisa ajudar a salvar as novas vitimas em quanto é assombrada pelo seu abusador.
Se tirássemos os super poderes dos personagens da série, poderíamos estar tratando da vida de qualquer mulher que tenha sido abusada e tenha que conviver com os traumas. Jessica representa essas mulheres

"O tempo todo que ele me controlava, havia uma parte de mim que resistia. Havia um pedacinho do meu cérebro que tentava escapar. E ainda estou lutando, não vou parar de lutar." Jessica

3. Arya (Game of Thrones - HBO)

Arya nasceu para ser princesa, para se casar com alguém de um grande nome e se tornar rainha, ela cresceu aprendendo os bons costumes de uma dama e outras coisas, como bordar. Arya não queria nada disso pra ela.
Depois da morte do seu pai, ela foge e se disfarça como um menino, pega numa espada e sai tentando se encontrar na vida e ela se encontra. Quem acompanha a série está vendo o treinamento de Arya para se tornar uma grande assassina de um grupo chamado "Os Homens Sem Rosto". Arya negou tudo aquilo que foi projetado para ela e fez suas próprias escolhas.

“Um dia, vou enfiar uma espada através do seu olho até a parte de trás do seu crânio” Arya para o Cão de Caça, homem que a mantinha refém. 


4. Sun (Sense8 - Netflix) (Orange Is The New Black - Netflix)

Sense8 é uma série que mostra 8 pessoas que conseguem interagir entre si e trocar habilidades e com isso, se ajudar. Se você estiver com uma arma apontada na cabeça, Will, o policial, irá ajudar. Se você estiver que fazer uma fuga de carro, Capheus irá ajudar. Se você estiver prestes a apanhar de uns 10 homens, Sun irá ajudar. Sim, do grupo de 8 pessoas é uma mulher que sai sabe sai no braço. Sun é uma economista que as noites luta kickboxing para aliviar a pressão do trabalho e família. 

"Eu pego tudo o que estou sentindo, tudo o que importa para mim. Guardo tudo isso no meu punho e eu luto." Sun

5. Todas as personagens (Orange Is The New Black - Netflix)

A série se passa na prisão feminina de Litchfield, onde mostra mulheres que foram presas injustamente e justamente. Cada episodio foca na historia de uma ou duas personagens e mostra o que elas passaram até chegar na prisão, o que motivou elas para tomar atitudes que levariam elas a ser presas. Existem historias de mulheres que não tem como se emocionar, como a historia da Miss Claudete.
*Spoiler: Claudete saiu do Haiti, ainda criança, rumo aos EUA para trabalhar como doméstica e pagar as dívidas do pais. Anos se passam e ela comanda a empresa de limpeza e recruta meninas para trabalhar lá, até que um dia ela vê o corpo de uma das meninas cheio de hematomas causados por um dos clientes e ela resolve fazer uma visita a esse cliente.

"Já leu o livro Freakonomics? É sobre teoria econômica. Causa e efeito.Tem um capítulo chamado Aonde foram parar os criminosos. Na década de 1990, o crime caiu dramaticamente e o livro atribui isso à aprovação do aborto. Os abortos ocorridos após a legalização eram crianças indesejadas. Crianças que, se suas mães fossem forçadas a ter, terminariam pobres, negligenciadas e maltratadas, os três ingredientes mais importantes ao se produzir um criminoso. Só que eles não nasceram. Então, 20 anos depois, quando estariam no auge do crime, eles não existiam. E a taxa de crime caiu drasticamente. Eu quero dizer que você era uma 'bostinha' entupida de metanfetamina, e se seus filhos tivessem nascidos, também seriam 'bostinhas' entupidas de metanfetamina. Ao interromper estas gestações, você poupou a sociedade do flagelo de sua prole. Talvez você deva parar de punir a si mesma." Big Boo.

You Might Also Like

0 comentários